Queijo da Canastra | Vilza e Zé de Lima Fazenda Prata
59140
single,single-portfolio_page,postid-59140,qode-core-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,canastra child-child-ver-1.0.0,canastra-ver-1.3, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,transparent_content,grid_1300,blog_installed,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive

Vilza e Zé de Lima
Fazenda Prata

Depois da proibição do garimpo de diamante, na década de 1980, o pé da cachoeira da Casca D`anta passou a receber
uma turma nova, ávida por outras joias preciosas da região da Serra da Canastra. Foi quando centenas de turistas
passaram a cortar os caminhos de São Roque de Minas, Vargem Bonita e São José do Barreiro em busca do frescor
das águas e dos sabores daquele tal queijo amarelinho e forte.

Nesse vai-e-vém do povo da cidade grande, uma história de amor estava pronta para ser vivida sob a benção de Seu
Zezito, uma das figuras mais lendárias de todo aquele pé de chapadão.

A fazenda de Seu Zezito sempre foi referência. Além das piscinas naturais, guardava outra preciosidade: o Queijo da
Canastra. Se cada pedaço levava junto a simpatia daquele senhor de sorriso fácil, cada peça de queijo tinha toque
especial das mãos de suas filhas, entre elas, Vilza.

Quando os turistas iam embora com a alma lavada pelo São Francisco e com as sacolas abarrotadas de queijo, um
admirador por lá ficava: Zé de Lima, o fiscal do parque, filho de São Roque de Minas, que tomou coragem para pedir
a benção de Zezito para se unir a Vilza.

Com gosto, o guardião do pé da Casca D`Anta abençou a união do jovem casal. Mal sabia ele, selou ali também a
continuidade da tradição secular do queijo da família. Não teve tempo de ver em vida Vilza e Zé de Lima se tornando
os novos guardiões da produção daquela joia rara, só encontrada na região: o Queijo da Canastra.

Distância:

26km de distância do centro urbano

Telefone:

( 37 ) 99905-9658